TERRA MÃE DE BAÍA FORMOSA

sexta-feira, 23 de abril de 2010

BAÍA FORMOSA - FONTE IDEMA


Foi a construção de um movimentado porto de embarcações que deu origem a um núcleo organizado de pescadores, localizado na única baía do Rio Grande do Norte. Em meados do século XVIII, logo após o corte do pau-brasil, essa localidade já servia como área de veraneio para a família Albuquerque Maranhão e fazendeiros das redondezas. Em 1877, aconteceu a matança de agosto, comandada pelo latifundiário poderoso, dono do Engenho Estrela, João Albuquerque Maranhão. Dizendo-se dono da área foi ao vilarejo e, juntamente com um grupo armado, tentou expulsar os moradores do vilarejo. Foi aí que surgiu a figura corajosa de Francisco Magalhães com mais quatorze homens armados e resistiram aos agressores. Travou-se uma luta terrível onde seis pessoas morreram e no final o comandante da chacina foi preso, levado a julgamento e absolvido. A vocação histórica da resistência permaneceu naquela comunidade construída a partir do trabalho árduo. Em novembro de 1892, o núcleo de pescadores tornou-se vila do município de Canguaretama e nessa época foi construída a capela de Nossa Senhora da Conceição. O povoado foi crescendo, juntamente com seus principais recursos econômicos, as lavouras de cereais e a pesca de albacoras (peixe do mar abundante nas proximidades e capturado através da famosa técnica do corso). Em 31 de dezembro de 1958, através da Lei n° 2.338, tornou-se município desmembrando-se de Canguaretama e recebeu o nome de Baía Formosa, por encontrar-se localizada na bela enseada que forma a única baía do Estado. Atualmente, o município continua seguindo sua vocação histórica na atividade econômica com maior destaque na produção agrícola e na pesca.

2. Identificação

Nome do Município: Baía Formosa
Lei de Criação: nº 2.338 Data: 31/12/1958
Desmembrado de: Canguaretama
Microrregião do IBGE: Litoral Sul
Zona Homogênea do Planejamento: Litoral Oriental
Índice de Desenvolvimento Humano: 0,643
Esperança de Vida ao Nascer: 66,774

3. Caracterização Física

--> Localização, Área, Altitude da Sede, Distância em relação à Capital e Limites.

Coordenadas Geográficas: latitude: 6º 22’ 10” Sul
longitude: 35º 00’ 28” Oeste
Área: 245,51 km², equivalente a 0,47% da superfície estadual
Altitude da Sede: 4 metros
Distância em Relação à Capital: 90 km
Limites: Norte – Oceano Atlântico e Canguaretama
Sul – Estado da Paraíba
Leste – Oceano Atlântico
Oeste – Canguaretama

--> Clima

Tipo: clima tropical chuvoso com verão seco e estação chuvosa adiantando-se para o outono.

Precipitação Pluviométrica Anual: normal: -
observada: 2.116,5 mm
desvio: -
Período Chuvoso: janeiro a agosto

Temperaturas Médias Anuais: máxima: 30,0 °C
média: 25,.6 °C
mínima: 21,0 °C

Umidade Relativa Média Anual: 79%

Horas de Insolação: 2.700

--> Relevo

Menos de 100 metros de altitude.
Tabuleiros Costeiros - relevos planos de baixa altitude, também denominados planaltos rebaixados, formados basicamente por argilas (barro), localizam-se próximo ao litoral, às vezes chegando ao litoral.
Planície Costeira - formadas por praias que têm como limites, de um lado, o mar, e, de outro, os Tabuleiros Costeiros, estende-se por todo o litoral.Esses terrenos planos são alterados em suas formas pela presença de dunas.

--> Solos

Solos predominantes e características principais:

Solos Litólicos Eutróficos - fertilidade natural alta, textura média, fase pedregosa e rochosa, relevo suave ondulado e forte ondulado, rasos,muito erodidos, bem a acentuadamente drenados.

Bruno não Cálcico - fertilidade natural média a alta, textura arenosa / argilosa e média / argilosa, fase pedregosa, relevo suave ondulado, bem drenado, relativamente raso e muito susceptível a erosão.

Uso: praticamente não são cultivados. A vegetação natural é aproveitada com pecuária extensiva de maneira extremamente precária. Pequenas áreas são cultivadas com milho e feijão. Destacando-se na criação de galináceos e no cultivo de tomate e algodão arbóreo.

Apresentam limitações muito fortes no uso agrícola para falta d’água, erosão e pelos impedimentos ao uso de máquinas agrícolas, em decorrência do relevo, pedregosidade e rochosidade e pela pequena profundidade.

Aptidão Agrícola: aptidão regular e restrita para pastagem natural. Nas áreas correspondentes a Bruno não Cálcico, terras aptas para culturas especiais de ciclo longo (algodão arbóreo, sisal, caju e coco). Na parte Centro / Norte terras indicadas para preservação da fauna e flora ou para recreação.

Sistema de Manejo: médio e baixo nível tecnológico. As práticas agrícolas estão condicionadas ao trabalho braçal e a tração animal, com implementos agrícolas simples.

Observação: Todos os dados acima, foram doados pelo IDEMA.

HISTÓRIA

Seu nome original, dado pelos índios, era Aretipicaba (bebedouro dos papagaios). O nome atual tem sua origem pela existência de uma baía em seu litoral (a única no Rio Grande do Norte). Seu povoamento teve início justamente pela baía, onde foi construído um pequeno porto de pesca. Em meados do século XVIII, a área já era utilizada, por grande fazendeiros, para recreação. Em 1877, a mando do latifundiário e dono do Engenho Estrela, João Albuquerque Maranhão, ocorreu a "matança de agosto". Dizendo-se dono da área, ele foi ao vilarejo e, juntamente com um grupo armado, tentou expulsar os moradores de lá. A resistência foi organizada pelo pescador Francisco Magalhães que, com mais quatorze homens armados, conseguiu rechaçar os invasores. Em novembro de 1892, o núcleo de pescadores tornou-se vila do município de Canguaretama e, nessa época, foi construída a capela de Nossa Senhora da Conceição

O município foi emancipado de Canguaretama através da Lei nº 2.338, de 31 de dezembro de 1958.

Limita-se com o município de Canguaretama (norte e oeste) e com o estado da Paraíba (sul). A leste é banhada pelo Oceano Atlântico.

A sede do município está a 6° 22’ 10” de latitude sul e 35° 00’ 28” de longitude oeste. A altitude é de 04 m acima do nível do mar e a distância rodoviária até a capital é de 90 km. A pluviosidade média aferida no município, na Destilaria Baía Formosa, segundo o IDEMA é de 1.616,6 mm.

Ainda de acordo com o IDEMA, o solo da região é do tipo litólico eutrófico e bruno não cálcico. O solo tem aptidão regular e restrita para pastagem natural. Nas áreas correspondentes a bruno não cálcico, as terras são aptas para culturas de ciclo longo como algodão arbóreo, sisal, caju e coco. A área centro/norte têm terras indicadas para preservação da fauna e flora ou para recreação. Há, no município, uma área de reserva da Mata Atlântica, com aproximadamente 1.833 ha., aberta à visitação. É o maior trecho contínuo de mata preservada no Estado.


MAIS

MAIS

MAIS

INFORMAÇÕES DE BAÍA FORMOSA - FONTE: SITE BAÍA FORMOSA

Coordenadas Geográficas:
Latitude: 6º 22' 10" Sul
Longitude: 35º 00' 28" Oeste

Área:
249,1 km², equivalente a 0,47% da superfície estadual

Limites:
Norte - Oceano Atlântico e Canguaretama
Sul - Estado da Paraíba
Leste - Oceano Atlântico
Oeste - Canguaretama

Em 31 de dezembro de 1958, através da Lei n° 2.338, tornou-se município desmembrando-se de Canguaretama e recebeu o nome de Baía Formosa, por encontrar-se localizada na enseada que forma a única baía do Estado. Atualmente, o município continua seguindo sua vocação histórica na atividade econômica com destaque na produção agrícola e na pesca.

Em Baia Formosa encontra-se a maior reserva de Mata Atlântica ainda preservada do Rio Grande do Norte: a Mata da Estrela com uma área de mais de 2000 hectares. Passeios e visitações são restritos, pois é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, tombada pelo Estado. Na Mata da Estrela, a Lagoa da Coca-Cola é um atrativo à parte, com suas águas escuras que os nativos acreditam ter poderes medicinais e rejuvenescedores.

Bonita e entrecortada por aspectos selvagens da natureza, a cidade ainda respira um ar totalmente inexplorado. Situada no litoral sul do Rio Grande do Norte, Baía Formosa fica a 94 km de Natal, a 110 quilômetros de João Pessoa (PB) e 220 quilômetros de Recife (PE) pela estrada BR-101.

As belezas naturais são o principal atrativo, e é possível encontrar cerca de 26 km de praias semi-desertas envolvidas por 2.365 hectares de mata atlântica e exuberante manguezal. A Mata da Estrela, reserva de mata atlântica nativa a beira-mar, com lagoas, trilhas, fauna e flora exuberantes são atrativos que não podem deixar de ser visitados. A Lagoa Araraquara é também chamada de Lagoa da Coca-Cola graças as suas águas de cor escura, fruto da pigmentação das raízes das árvores e a composição química do solo rico em iodo e ferro.

A cidade localiza-se às margens de uma baía onde aparecem golfinhos diariamente. O pôr-do-sol no porto da cidade tem um visual indescritível. Não perca o final de tarde no porto, assistindo aos barcos chegando do mar e relaxando ao sabor das ondas do mar. O nome Baía Formosa vem da única baía do litoral do RN, que ao ser encontrada pelos colonizadores portugueses a frase "Ó, que baía formosa!" teria sido exclamada.

As ondas da região são consideradas muito boas e a "tribo do surf" da cidade é respeitada nos circuitos amadores e profissionais de surf de todo o país. Ao longo dos 26 km de orla marítima, tem-se três rios mais expressivos: o Rio Guaju, na divisa com a Paraíba , o Rio Sagi e o Rio Cunhaú. Dentre as mais belas praias tem-se a Praia dos Olhos D'Água, que ganhou esse nome devido às nascentes de água doce que afloram na areia. Ela é totalmente deserta, com um leve e permanente marulho, fazendo uma escala musical só sua. A Praia do Coqueiral, com o Morro da Cotia, e a Praia dos Golfinhos, mais próxima do pequeno centro urbano de Baía Formosa.

O município tem apenas duas áreas ocupadas: a cidade de Baía Formosa, que é sua sede municipal, e a localidade de Sagi, onde há bancos de areia monazítica, muito caranguejo, muito peixe e uma reserva do Peixe-Boi. Além, é claro, de tudo o que pode ser encontrado nos longos manguezais totalmente preservados.

ATRAÇÕES E PRAIS - FONTE: SITE BAÍA FORMOSA

Baía Formosa é um paraíso para surfistas e ecoturistas. Uma vila ainda com ares de vila de pescadores, reúne praias virgens e barcos de pesca com uma pequena estrutura turística. Há deliciosos restaurantes , assim como pousadas e/ou chalés para alugar com vista para o Oceano Atlântico. Os passeios podem incluir uma visita à Mata Estrela, uma reserva florestal ainda preservada e com uma atração bem procurada: a Lagoa da Coca-cola. Baía Formosa é um espetáculo de belezas naturais e se você tiver um pouquinho de sorte pode até ver um peixe boi-marinho que vez por outra sai da reserva em mares paraibanos para um passeio em Formosa.

Praias
Além das matas, Baía Formosa tem em suas praias uma beleza sem igual. A mais distante da cidade, a Praia do Sagi possui dunas que podem ser percorridas de bugue e a praia que deu nome à cidade, Praia de Baía Formosa, possui falésias que mudam de coloração durante o ano.

Baía Formosa tem 26 km de praias quase desertas, com mar transparente, azul e verde claros. Dependendo da profundidade, dos recifes de corais e dos lajeados existentes, ora o mar é azul claro, ora é verde claro, cores e tons que se mesclam suavemente, ao sabor do vento brando, das correntes e das marés. Ao longo dos 26 km de orla marítima, têm-se 3 rios mais expressivos: o Rio Guaju, na divisa com a Paraíba , o Rio Sagi e o Rio Cunhaú. Dentre as mais belas praias tem-se a Praia dos Olhos D'Água , que ganhou esse nome devido às nascentes de água doce que afloram na areia. Ela é totalmente deserta, com um leve e permanente marulho, fazendo uma escala musical só sua. A Praia do Coqueiral , com o Morro da Cotia, e a Praia dos Golfinhos, mais próxima do pequeno centro urbano de Baía Formosa.

Surf
A pequena baía é cercada de falésias e dunas avermelhadas que protegem os picos dos ventos de sul e sudeste que praticamente predominam o ano inteiro. As melhores ondas quebram com swell de leste e sudeste durante o inverno e de nordeste ou norte nos meses de verão. As ondas variam de 2 a 8 pés e quebram o ano todo. A maioria dos picos tem fundo de pedras e predominam para a direita.
Baía Formosa e suas ondas sempre são lembrados por Fábio Gouveia, surfista profissional paraibano, ex-campeão mundial amador e um dos melhores surfistas brasileiros de todos os tempos.

Mata Estrela e Lagoa
No passado, ocorreu na região de Baía Formosa, um grande processo de desmatamento, visando principalmente liberar a terra para o plantio da cana-de-açúcar. Existe, porém, na cidade uma mancha de Mata Atlântica preservada, com área de 2.039 ha, a qual foi transformada no dia 03 de março de 2000 em RPPN - Reserva Particular do Patrimônio Natural - unidade de conservação que visa a proteção dos recursos ambientais existentes, permitindo ao proprietário o desenvolvimento de atividades sustentáveis e a geração de renda. O nome dessa mata é Mata da Estrela, por causa de seu formato.
Percorrer as trilhas da Mata da Estrela é uma ótima experiência, devido à variedade de plantas e bichos do local, como o "Pau que Ronca", nome de uma espécie nativa que tem propriedades sonoras, a Amescla, uma planta que exala um ótimo cheiro e tem propriedades medicinais. Na Mata da Estrela encontra-se uma grande variedade de espécies florísticas nativas onde chamam a atenção dos visitantes as gameleiras, pelo seu porte, e uma bela mancha nativa de pau-brasil.
Para conhecer a mata é melhor ir acompanhado de um guia local e de buggy já que as proporções da mata são enormes.
A Mata Estrela é que abriga a famosa Lagoa Araraquara, também conhecida de Lagoa da Coca-Cola graças as suas águas de cor escura, fruto da pigmentação das raízes das árvores e a composição química do solo rico em iodo e ferro. Mas não se preocupe a água é extremamente limpa.

Praia do Sagi
Última praia do litoral sul, fica na fronteira do Rio Grande do Norte com a Paraíba. Praia totalmente selvagem, pequena e tranquila, boa para banho. Em Sagi há a bonita visão do Rio Guajú que marca a divisa dos estados.

Albacora movimenta mercado pesqueiro de Baía Formosa
Os ventos que sopram ao sul trazem para Baía Formosa os pescadores do litoral norte potiguar, que são atraídos anualmente para a pesca da albacora . A safra começou em setembro e vai até o mês de janeiro. O peixe, cuja textura se assemelha com a do atum, é bastante apreciado pelos moradores da região agreste do Rio Grande do Norte e de algumas cidades paraibanas.

Semanalmente, os 120 barcos que se lançam ao mar trazem cerca de 20 toneladas de albacora, que são revendidas aos feirantes da região. Segundo o presidente da Colônia de Pescadores de Baía Formosa, o pescador conhecido como Félix (Carlos Antônio Ferreira), o peixe não é repassado para restaurantes porque as pessoas que não conhecem seu sabor têm receio de experimentá-lo devido à coloração escura da carne.

"Muita gente não gosta da albacora por achar que tem a carne escura e portanto não ser saborosa, mas não sabem o que estão perdendo. Sem falar que a parte de dentro do peixe é branca", afirma. Ele ainda declara que a albacora também é ideal para o Sashimi (prato da culinária japonesa), por ter textura semelhante ao atum. .

VENTANIA NO NORTE - Os pescadores de Diogo Lopes (distrito de Macau), Caiçara do Norte e Galinhos são "fregueses" tradicionais da albacora em Baía Formosa. Há 24 anos, o pescador Guilherme José Miranda da Silva, 48 anos, desloca-se de sua praia para Baía Formosa, no período da safra, em viagem de barco que dura cerca de dez dias. Ele afirma que, enquanto tiver força para trabalhar, não fica em Diogo Lopes nesta época do ano.

"Há muita ventania no norte, impossível de se trabalhar", afirmam os pescadores. 'Seu' Guilherme vem acompanhado do filho Gilênio Lourenço da Silva, 23 anos, solteiro, e de Waldemir Silva de Santana, também com 23 anos, casado. "O período que passamos fora de casa é compensador, caso contrário, nós não viríamos mais", diz Gilênio.

Devido ao vento ser favorável, ou ainda por causas de correntes marítimas que facilitam a proximidade entre o litoral norte e Baía Formosa, o fato é que existe uma boa camaradagem entre os pescadores. "Graças a Deus, temos um relacionamento muito bom. Ninguém reclama por estamos aqui, pelo contrário, somos todos amigos", afirmam.

Outras safras:
Lagosta: de 1º de maio a 31 de dezembro

Avoador: abril, maio e junho
Serra, Dourado, Cioba, Cavala: o ano todo

Voley de praia é a boa sacada das areias de Baía Formosa
O pessoal do Voley de Praia de Baía Formosa se organiza para ganhar status profissional. Os atletas estão se reunindo para criar a ASVBF - Associação de Voley de Praia de Baía Formosa - que congregará os mais de 60 jogadores da cidade, das categorias juvenil e adulto.

O atleta Josivaldo Freire do Nascimento informa que o principal objetivo do grupo é sensibilizar as entidades estaduais para a qualidade que o esporte tem em Baía Formosa. Nos finais de semana, feriados e férias, os jogadores lotam as areias da Praia da Cacimba e simulam campeonatos, sempre com a perspectiva de participarem de circuitos profissionais.

"No passado, já participamos de competições importantes, mas atualmente o esporte está muito sem incentivo, tanto do poder público municipal quanto da Federação Estadual de Voley. Precisamos de mais estímulo", declara Josivaldo. A meta do grupo é realizar um evento anual que se transforme numa etapa do circuito estadual ou até mesmo nacional. "Nós temos talento para isso", garante.

Na seqüência, o grupo pretende organizar todos os esportes praticados na cidade como uma Liga Desportiva, para que Baía Formosa se destaque no seu potencial desportivo, que realmente é muito latente. Além do voley, a cidade se destaca no surf, na capoeira e no futebol (de areia, futevoley e de campo). "O esporte é a saída contra as drogas e no nosso grupo existe a prova maior disso, porque o pessoal que está com a gente é dedicado aos estudos, ao trabalho e principalmente ao voley", assinala.
Mais informações: (84) 9408-1019 - Josivaldo

Texto: Eliade Pimentel - Jornalista (DRT-RN 875)

BAÍA FORMOSA-RN

BAÍA FORMOSA-RN
O município de Baía Formosa, no Estado do Rio Grande do Norte, localizado na mesorregião Leste Potiguar, sendo o último território praiano, lado SUL (NORTE é Tibau) fazendo divisa com o Estado da Paraíba. É uma vila de pescadores totalmente tranqüila, simples e aconchegante, que respira um ar inexplorado, com sua diversidade e aspecto selvagem da natureza. O visual da baía dourada e prateada, e suas águas que formam um belíssimo cartão postal, deram origem ao nome do local. Realmente trata-se de um cenário paradisíaco A região é repleta de praias desertas, rios encontrando com o mar, dunas, exuberantes lagoas de água doce e os atrativos da maior reserva de Mata Atlântica do Rio Grande do Norte, a Mata Estrela, totalmente intocada. Bonita e entrecortada por aspectos selvagens da natureza, a cidade ainda respira um ar totalmente inexplorado. Situada no litoral sul do Rio Grande do Norte, Baía Formosa fica a 94 km de Natal, a 110 quilômetros de João Pessoa (PB) e 220 quilômetros de Recife (PE) pela estrada BR-101. A cidade localiza-se às margens de uma baía onde aparecem golfinhos diariamente. O pôr-do-sol no porto da cidade tem um visual indescritível. Não perca o final de tarde no porto, assistindo aos barcos chegando do mar e relaxando ao sabor das ondas do mar. O nome Baía Formosa vem da única baía do litoral do RN, que ao ser encontrada pelos colonizadores portugueses a frase "Ó, que baía formosa!" teria sido exclamada

Quem sou eu

Minha foto
SOU POLICIAL MILITAR DA RESERVA REMUNERADA DA GLORIOSA E AMADA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, EXERCI A FUNÇÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA NAS CIDADES DE APODI, FELIPE GUERRA,ITAÚ, RODOLFO FERNANDES, GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO, SÃO MIGUEL, DR. SEVERIANO, TENENETE ANANIAS E MARCELINO VIEIRA, ALÉM DE TER TRABALHADO NAS CIDADES DE MOSSORÓ, AREIA BRANCA, SERRA DO MEL, CARAÚBAS E PAU DOS FERROS. AMO A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AMO AMO AO MEU PRÓXIMO COMO AMO A MIM MESMO. SOU TORCEDOR DO BARAÚNAS (MOSSORÓ) E FLUMINENSE(RJ, TENHO A POLÍCIA MILITAR DO MEU ESTADO COMO UMA VERDADEIRA MÃE, TENDO EM VISTA QUE FOI NELA QUE PUDE CRIAR MEUS FILHOS E APRENDER UM MONTÃO DE COISAS BOAS.